Fantasia


"Se não tem nada pra depois por que não eu?"
Leoni

Essa ansiedade desesperada, essa pontada no peito, esse nó na garganta... o que eu faço com isso? Já tentei caminhar, ler, ouvir música, dançar, conversar, dormir. Nada adianta. E eu aqui nessa angústia, sem saber o que fazer. Mas a culpa é tua. Só tua. Eu estava muito bem na minha, fingindo que não me importava com a mesmice, ignorando o mundo e me escondendo dos meus prazeres. Mas aí veio você me olhando com tanta atenção. Me olhando dentro da alma. Me olhando como se olha um sorvete num dia de sol, e com colher na mão. Ou será que isso fui eu? ah, já não sei. Você me deixa confusa com toda essa coisa, ou... será que é coisa nenhuma?

Coisa nenhuma. Claro. Depois de muito tempo na caverna, a luz cega. Vai ver nem é isso tudo. Mas pode ser. Isso tudo e mais. Não sei, não entendo mensagens claras, tampouco subliminares. Na certa tudo não passa de uma fantasia, coisinha de mulher metida a adolescente. Ou adolescente metida a mulher? whatever. Dentre tantas contradições, só sei que o nó continua lá, sustentando esses últimos desvarios e eu sigo escrevendo pra fingir que esses seus olhos não fazem falta.

mais uma contradição não faz diferença.






3 Rompendo o asfalto:

Hariane disse...

Como disse
"Eu estava muito bem na minha, fingindo que não me importava com a mesmice, ignorando o mundo e me escondendo dos meus prazeres".

Mas preciso viver, Nathy, romper as flores no asfalto. Conhecer a si msm e prosseguir em se conhecer.
E devo reconhecer que está fazendo isso mto bem.

Avante, gúria!

Bju

Vanessa disse...

"...como se olha um sorvete num dia de sol, e com colher na mão" Desse jeito o sorvete derrete, não é mesmo?

:-)

bjs

UnderOground disse...

Bom, para meio entendedor boa palavra basta ;)

Seguidores